Crítica | Lion – Uma Jornada Para Casa

Drama traz uma história real de superação e esperança
0

Lion adapta a história real de Saroo, o qual com seus cinco anos de idade se perde numa estação de trem e acaba parando a mais de 1600 km de casa. Em uma região onde a língua e as pessoas são desconhecidas, o pequeno indiano passa por diversas situações angustiantes até ser adotado por uma família australiana.

Vinte anos depois de ter se perdido, Saroo, agora interpretado por Dev Patel (‘Quem Quer Ser Um Milionário?’), se dá conta que precisa encontrar a sua família biológica e com apenas fragmentos de memória e ajuda de um computador, ele vai em busca desse objetivo.

ALTOS E BAIXOS DRAMÁTICOS

Estreante no cinema, o diretor Garth Davis concentra seus esforços para contar a primeira parte da história da forma mais dramática e real possível. As cenas são pesadas, deprimentes e a atuação impecável do pequeno Sunny Pawar — o que é um caso a parte — torna tudo mais verdadeiro e, consequentemente, pior do que já é.

No entanto, essa carga emocional tem uma queda na segunda parte do filme. As cenas são mais atropeladas, fazendo com que não dê tempo de se aprofundar em aspectos muito importantes para a construção da história, como o caso do irmão adotivo, Mantosh que possui transtornos e da namorada de Saroo, Lucy, interpretada por Rooney Mara, que pouco conseguiu mostrar seu talento através do roteiro limitado.

LEMBRE-SE: É PARA SE COMOVER, É PARA CHORAR

Você não encontrará nenhum motivo para se divertir nesse filme, isso é fato. São duas horas de puro drama, e Davis quer deixar isso bem claro, principalmente pela, até mesmo cansativa, trilha sonora que implora por lágrimas a todo momento. Desnecessário, afinal, a própria trama já tem potencial para comover.

De qualquer modo, nada tira a beleza e a importância desse filme, das críticas e denúncias realizadas, da conscientização, do choque de realidade e da história de superação que jamais será esquecida.

7
O VEREDITO

'Lion' tem seus defeitos, com cenas muito apressadas e a falta de aprofundamento em certas questões. Contudo, não é nada que tire o mérito de ser um bom filme, que muito além de contar uma história incrível, levantou reflexões sobre diversas questões importantes.