Crítica | Resident Evil 6: O Capítulo Final

Nada de novo sob o sol do mundo pós-apocalíptico
1

Não assistiu nenhuma filme da franquia e caiu de paraquedas na história? Não se preocupe, o filme, como todos anteriores, começa explicando todos os acontecimentos. Mas com uma grande diferença: o público que assistiu o antecessor, Resident Evil 5 – Retribuição, é simplesmente esquecido.

Exatamente. Paul W.S. Anderson decide ignorar a última cena de RE 5 — Alice (Milla Jovovich) junto com seus parceiros na Casa Branca, cercados de zumbis e outros monstros — e joga fora Ada, Jill e outros personagens dando uma rasa explicação que tudo não passava de uma emboscada.

ESQUECENDO O PASSADO E RETOMANDO O MESMO OBJETIVO

Nessa continuação, Alice acorda numa Washington vazia, os zumbis que estavam ali pelo visto também foram esquecidos, e decide que precisa voltar para Raccon City, onde tudo começou, para acabar com a Umbrella de uma vez por todas. Afinal, cinco filmes tentando fazer isso é meio cansativo, não é mesmo?

Pelo visto, Anderson não se importa muito com isso, muito menos em criar um roteiro coerente ou que amarre toda a história. O filme todo são cenas de ação, muito slow motion e Alice pulando de algum lugar amarrada por um cabo. Nada de surpresas.

Não que essas cenas sejam ruins, pelo contrário, elas salvam o filme, pois quem procura uma boa narrativa com diálogos inteligentes nem vai assistir Resident Evil. Afinal, as cenas de ação sempre foram o forte da franquia, ao contrário dos diálogos. No entanto, vale ressaltar que o 3D aliado com cenas muito escuras, atrapalharam — e muito.

APESAR DE TUDO, ALGUMA COISA SE SALVA

É claro que nem tudo foi perdido. O Capitulo Final possui algumas reviravoltas, algumas explicações que o público que acompanha desde o primeiro filme gostaria e merecia saber, além de ter referências à cenas clássicas da franquia, como a cena do corredor de lasers.

Além disso, Alice está mais humana e os personagens realmente parecem viver em um mundo pós-apocalíptico, sem aqueles cabelos de salão ou limpos e maquiados após acabar com uma horda de zumbis. O visual também dá essa noção de um mundo dizimado há uma década, com um tom amarelado e tudo em ruínas.

O final da franquia, como esperado pelo título, talvez não seja tão final assim. Anderson decidiu optar pelo caminho mais confortável, deixando um espaço aberto para voltar, caso queira ganhar mais dinheiro. Infelizmente.

6
O VEREDITO

No final das contas, Resident Evil 6 traz mais do mesmo, não surpreende, não convence. Embora, as cenas de ação e suspense te deixem tenso e apreensivo, o filme todo não passa disso. Ou seja, é possível que você possa se divertir, mas vá ao cinema esperando mais um filme da franquia, nada além disso.

  • O maior erro do filme , foi os personagens do game são coadjuvantes na série.